Arquitetos que Amamos,  Arquitetura e Decoração

A arquitetura residencial de Oscar Niemeyer

Casas projetadas pelo arquiteto continuam extremamente atuais e chamam a atenção pela integração dos ambientes com a natureza

 

“Se a reta é o caminho mais curto entre dois pontos, a curva é o que faz o concreto buscar o infinito.” – Oscar Niemeyer

O Brasil tem inúmeros arquitetos extremamente talentosos, mas talvez nenhum possa se igualar em reconhecimento mundial a Oscar Niemeyer. Nascido no Rio de Janeiro, ele foi um dos principais responsável pelo desenvolvimento da arquitetura moderna no país, tornando-se famoso pelo uso de formas abstratas e curvas.

Conhecido principalmente por suas edificações monumentais – como museus, parques, palácios e catedrais – Niemeyer também deixou uma série de obras residenciais merecem admiração. Em todos os seus projetos, independentemente da finalidade a que fossem destinados, o espírito livre e arrojado do arquiteto permanece presente.

 

O Museu Nacional, em Brasília, projetado por Oscar Niemeyer, é um dos melhores exemplos de seu estilo único

 

Uma das obras residenciais mais conceituadas de Niemeyer é a Casa das Canoas, no Rio de Janeiro, que ele projetou para sua própria moradia. O projeto é de 1953, período em que seu estilo arquitetônico já estava bastante maduro. Inserida em meio à vegetação tropical da Floresta da Tijuca, em um terreno bastante desnivelado, a casa dialoga com as rochas do entorno, incorporando-as, e se abre para a natureza, com o mínimo possível de intervenção na paisagem.

 

Casa das Canoas, no Rio de Janeiro (crédito: Frank van Leersum)

 

Casa das Canoas, no Rio de Janeiro (crédito: Nelson Kon)

 

“Quando comecei os meus projetos em Brasília (1956), eu já estava cansado de dar tantas explicações. Eu sabia que tinha experiência para ser livre, e não me importavam as críticas inevitáveis contra meus projetos.” – Oscar Niemeyer

Como dizia o próprio arquiteto, a ideia por trás da arquitetura modernista era penetrar corajosamente no mundo de curvas e retas que o concreto oferecia. Nesse sentido, outra das casas criadas por Niemeyer – atualmente à venda, no Alto de Pinheiros, em São Paulo – ilustra de maneira muito evidente o modo como os projetos residenciais do arquiteto eram, para ele, um terreno para experimentações no que diz respeito à forma e à integração com os elementos naturais do entorno, ao mesmo tempo em que buscavam o bem-estar dos usuários.

 

Casa no Alto de Pinheiros, um dos raros projetos de Niemeyer em São Paulo, atualmente à venda

 

Um dos poucos projetos de Niemeyer em solo paulista, a residência foi projetada para um amigo, que trabalhou ao lado do arquiteto no desenvolvimento de Brasília, nos anos 1950. Com paisagismo de Burle Marx, que projetou muitos dos jardins presentes nas obras de Niemeyer, a casa foi construída em um terreno de 1.800 m². Destaca-se, no projeto arquitetônico, a ousadia das curvas e dos declives, assim como as paredes de vidro, que permitem total conexão com o verde da área externa. Na área social, localizada na parte de baixo, a planta é circular. Já na área íntima, que pode ser acessada por uma rampa, que garante total privacidade, a planta é em forma de T. A casa tem cinco dormitórios, com uma suíte master.

Outro exemplar residencial muito interessante, com projeto de Oscar Niemeyer, é a Casa Juscelino Kubitschek, localizada no Conjunto Arquitetônico e Paisagístico da Pampulha, em Belo Horizonte (MG). O imóvel, construído às margens da lagoa, foi finalizado em 1943, e servia como residência para os finais de semana do então prefeito da capital mineira, que posteriormente viria a se tornar presidente do país. Sua proposta, na época, era ser um exemplo das novas formas de habitar. Os jardins foram criados por Burle Marx e há um painel de azulejos de Volpi. Atualmente, a casa é tombada como patrimônio histórico e cultural, em nível estadual.

 

Casa Juscelino Kubitschek, em Belo Horizonte

 

Um projeto residencial muito emblemático de Niemeyer é a Casa Edmundo Cavanelas, em Petrópolis (RJ). Concebida em 1954 e situada em um pequeno vale, a residência possui uma cobertura incomum, que conta com apoios apenas nas extremidades, lembrando uma tenda. Não é um imóvel grande, mas sua arquitetura é muito fluida e completamente integrada aos jardins, também de Burle Marx, além de ser instalada de forma a respeitar a topografia natural do terreno.

 

Casa Edmundo Cavanelas, em Petrópolis

 

A lista de celebridades para as quais Niemeyer projetou residências é longa, passando por Di Cavalcanti, Francisco Pignatari, Darcy Ribeiro, Orestes Quércia, Anne e Joseph Strick. Mas não foi apenas no Brasil que o arquiteto fez experimentações no que diz respeito a obras residenciais. Um exemplo fora do país é a Casa Nara Mondadori, em Cap Ferrat, na França.

Projetada em 1968, a residência localizada na Villa Nara Mondadori é uma anomalia modernista em meio a mansões de estilo clássico, na badalada Côte d’Azur (ou Costa Azul), litoral sul do território francês. Inserida de maneira orgânica na paisagem, a casa mistura concreto e vidro para criar formas onduladas e desafiadoras, com uma piscina extraordinária, que segue o mesmo conceito.

 

Casa Nara Mondadori, em Cap Ferrat, na França (crédito: François Halard)

 

 

Dica: Para quem deseja conhecer mais sobre os projetos residenciais de Niemeyer, construídos ou não, vale a pena conferir o livro Oscar Niemeyer – Casas (2012), com fotografias de Alan Weintraub e texto de Alan Hess.

Spread the love