< Voltar

As origens da Faria Lima

Conheça a história de uma das avenidas mais importantes de São Paulo, onde se concentra o maior polo financeiro da cidade

 

Um dos mais relevantes centros comerciais e financeiros da capital paulista, a região da Avenida Brigadeiro Faria Lima tem passado por um verdadeiro boom no que diz respeitos a lançamentos do mercado imobiliário de alto padrão.

Mas quais são as origens dessa avenida tão cheia de história, que deu a seus frequentadores até mesmo uma nomenclatura própria (os famosos Faria Limers)?

A Faria Lima foi criada e construída nos anos 1960, em uma área de várzea do Rio Pinheiros (canalizada na década de 1940), para servir de ligação entre os bairros de Pinheiros e Brooklin.

José Vicente de Faria Lima

O nome foi escolhido em homenagem a José Vicente de Faria Lima, filho de um imigrante português e nascido no Rio de Janeiro, que iniciou sua carreira na FAB (Força Aérea Brasileira) e chegou ao cargo de brigadeiro em 1958.

Faria Lima participou da criação do Ministério da Aeronáutica e foi comandante do Campo de Marte, em São Paulo. Em 1965, foi eleito prefeito de São Paulo e sua administração desenvolveu diversas obras importantes, como o metrô, as marginais Tietê e Pinheiros e as avenidas Sumaré, Radial Leste e 23 de Maio. Também foi iniciativa sua a elaboração do primeiro Plano Diretor da cidade.

As obras da Avenida Faria Lima foram iniciadas ainda na gestão de José Vicente, como um alargamento da Rua Iguatemi, e a via receberia o nome de Radial Oeste. Mas, por conta do falecimento do ex-prefeito, em 1969, o nome foi alterado para homenageá-lo. Seu filho, José Eduardo, participou da cerimônia de inauguração, promovida pelo então prefeito Paulo Maluf.

Foi ainda no início da década de 1970 que os edifícios comerciais começaram a compor a paisagem da Avenida Faria Lima, substituindo as casas por um skyline verticalizado, que já começava a se parecer muito com o da Avenida Paulista.

 

Vista aérea da Avenida Faria Lima em 1969

 

Novos trechos da avenida foram implantados nas décadas seguintes, principalmente nos anos 1990 (com a expansão do Largo da Batata para a Avenida Pedroso de Morais e da Cidade Jardim para a Avenida Hélio Pellegrino), até que ela tomasse a configuração que tem nos dias de hoje.

 

 

Em 2004, foi aprovada a Operação Urbana Consorciada Faria Lima, que captou investimentos para a infraestrutura da região, dando origem à chamada Nova Faria Lima, caracterizada por um novo tipo de configuração imobiliária, com empresas ocupando um prédio inteiro ou vários andares e sem comércio no térreo.

Já em 2010, foi inaugurada a Estação Faria Lima, na altura do Largo da Batata, uma das primeiras da linha amarela do metrô a serem abertas para os usuários. Outra opção de transporte implementada na avenida foi a ciclovia, em que circulam até hoje, diariamente, milhares de bicicletas (e os tradicionais patinetes).

 

 

Entre as principais atrações da Faria Lima estão o Shopping Iguatemi (primeiro shopping de São Paulo, fundado em 1966), o Museu da Casa Brasileira, o Clube Pinheiros, o Edifício Dacon e inúmeros bares e restaurantes (principalmente nas extremidades da avenida). A região também abriga sedes de importantes startups e multinacionais, como Google e Deutsche Bank.

Com o isolamento social durante a pandemia, a partir de 2019, a avenida se esvaziou um pouco, já que muitos trabalhadores passaram a atuar em home office. A tendência, com o retorno a modelos de trabalho presenciais ou híbridos, é que as empresas apostem em escritórios com menos pessoas, mas com ambientes mais amplos.

A inovação também continua sendo uma marca registrada da avenida: em 2020, foi lançado na Faria Lima o primeiro prédio multipisos com estrutura de madeira do Brasil, sede da empresa Dengo. Isso é prova de que a Faria Lima deve seguir como uma referência em São Paulo e uma das áreas comerciais mais valorizadas e cobiçadas da cidade, com sua ampla estrutura e ótima mobilidade urbana.

 

 

Boom de lançamentos

A tendência de valorização dessa região tem se refletido também no mercado imobiliário residencial, principalmente no que diz respeito a novos empreendimentos de alto padrão. “Com a consolidação da Faria Lima como principal eixo econômico e centro financeiro da cidade, houve a demanda por empreendimentos residenciais de altíssimo padrão na região. Esse movimento se intensificou nos últimos 15 anos”, explica David Farah, gerente de lançamentos da Esquema Imóveis.

“Atentas a esse público, as incorporações voltaram seu foco a plantas mais espaçosas, acima de 500 m². Exemplos clássicos são o Seridó, da Construtora São José (2009), e os principais empreendimentos da Rua Leopoldo Couto de Magalhães Júnior: o Château Latour, Pateo Leopoldo e Terraço Leopoldo, todos da Bolsa de Imóveis (2009-2010)”, completa.

De acordo com Farah, o chamado Itaim Nobre, no quadrilátero Faria Lima, Parque do Povo, JK e Cidade Jardim, continua recebendo novos projetos e levando os preços da região a um novo patamar. “Lançamento recente, em plena pandemia, o Casa Lafer (com unidades de 424 m², na Rua Lopes Neto) tem apenas 2 apartamentos disponíveis, mostrando que a demanda na região continua forte e antecipando o lançamento do projeto, em terreno bastante interessante, por sua metragem e por ter toda o restante da quadra tombado”, comenta.

 

Casa Lafer, empreendimento muito demandado na região da Faria Lima

 

Já ao longo da avenida, passando pelo Jardim Paulistano, desenvolveu-se outro nicho de mercado: o de condomínios horizontais de altíssimo padrão. “Ruas como Jacarezinho, Campo Verde, Ibiapinópolis e Manduri vêm recebendo projetos que saem 100% vendidos. A escassez de terrenos para futuras incorporações contribui para a contínua valorização dos bons ativos imobiliários que ali estão”, observa o gerente de lançamentos.

Seguindo no sentido Avenida Rebouças, a incorporação residencial também ganhou força e vem transformando a região, tanto com prédios corporativos quanto residenciais – a exemplo do Praça Henrique Monteiro, projeto que prevê um boulevard com calçadas de 9 metros de largura, restaurante operado por empresa de renome e boulangerie de padrões internacionais. “O projeto contempla ainda um jardim elevado, amplo e privativo. Em seus mais de 40 pavimentos de altura, oferece a melhor vista da cidade de São Paulo”, ressalta Farah.

 

Empreendimento Praça Henrique Monteiro

 

O gerente acrescenta que a Nova Faria Lima (incluindo sua futura extensão, até a Avenida Bandeirantes) trouxe para a Vila Olímpia empreendimentos ícones, como o Pininfarina (compactos de luxo), One Sixty, VN Millenium e W São Paulo, todos de alto padrão construtivo. O objetivo é atender desde o público familiar mais tradicional até os jovens que trabalham no eixo da Faria Lima, que buscam qualidade de vida e praticidade.

 

ARTIGOS
RELACIONADOS

A Avenida Santo Amaro passará por uma reestruturação total, resultando na valorização de imóveis e empreendimentos já cobiçados da região   A Avenida Santo Amaro, via que une os bairros mais importantes da cidade atualmente, no passado era uma estrada que fazia a ligação entre São Paulo e o antigo…

Incorporadoras apostam em empreendimentos de alto padrão com serviços de hotelaria   Cada vez mais os grandes lançamentos imobiliários atrelam seus projetos a grandes grifes hoteleiras para que cuidem de serviços e facilidades e com isso atraiam mais clientes do mesmo perfil. Ter sua casa limpa e organizada como se…

A área oferece algumas das melhores oportunidades no mercado de imóveis de alto padrão, principalmente para investidores   No ano passado, apesar do momento atípico que vivenciamos, as vendas de lançamentos imobiliários não foram significativamente impactadas –pelo contrário. Dados do Anuário de Mercado Imobiliário, elaborado e publicado pelo Secovi-SP, evidenciaram…

Entenda por que a locação de imóveis pode ser uma ótima solução de moradia para expatriados   Morar em um país que não é seu de origem, em geral com um contrato de trabalho por tempo determinado, é a realidade dos expatriados. São profissionais de empresas ou funcionários de consulados,…

Entenda o impacto positivo que a variação da taxa Selic deve provocar no mercado imobiliário em 2024   Ficar de olho no cenário econômico é sempre interessante para quem quer fazer bons investimentos. Nesse sentido, o início de um novo ano sempre traz algumas variáveis, sendo a taxa Selic uma…

No mercado imobiliário, o valor de um projeto está relacionado à escassez, à utilidade e ao padrão construtivo   Quando se trata de empreendimentos imobiliários, o mercado se habituou à famosa pergunta: quanto custa o metro quadrado? Dependendo da resposta, o imóvel é classificado como caro ou barato. Muitas vezes,…

Nesta fase positiva do mercado, o desenvolvimento imobiliário tem ganhado espaço, com boas oportunidades para vendedores e investidores   Já faz algum tempo que o desenvolvimento imobiliário tem, literalmente, conquistado terreno no mercado, em especial no que diz respeito ao alto padrão. “Essa área já vinha em ascensão antes da…

Imóveis em locais elevados, com vista aberta ou de frente para parques, têm se tornado uma ótima opção de investimento   Uma vista aberta, fugindo do concreto dos prédios e cercada por muito verde, é o sonho da maioria das pessoas que moram em grandes centros urbanos. Mas você sabia…