Economia e Mercado

Os impactos da inflação no mercado imobiliário

Marco Túlio Vilela Lima, CEO da Esquema Imóveis, avalia os impactos do cenário econômico atual no mercado imobiliário

 

O panorama econômico do país tende a provocar impactos e desdobramentos nos mais variados segmentos, e essa afirmação também se aplica ao mercado imobiliário. Embora o segmento de alto padrão sofra menos oscilações do que os demais, é importante compreender a maneira como a economia influencia o mercado de imóveis, para realizar bons negócios.

De acordo com Marco Túlio Vilela Lima, CEO da Esquema Imóveis, este ano foi possível verificar uma manutenção do VGV (Valor Geral de Vendas), com faturamento muito semelhante ao desse mesmo período, no ano passado. “A expectativa é de continuarmos com o mercado aquecido. Mas esse aquecimento é algo que se percebe com mais força no segmento de alto padrão”, observa.

O ano de 2021, para a Esquema Imóveis, foi de grandes realizações, com a superação das metas estipuladas e o dobro do faturamento de 2020. “É difícil prever o que irá acontecer no decorrer do ano, por conta de algumas incertezas políticas (como as eleições e a guerra na Ucrânia), mas, por enquanto, ainda estamos acima do que havíamos projetado como meta e mantendo o nível de aquecimento que vinha ocorrendo no ano passado”, ressalta Túlio.

Segundo o CEO, o perfil de imóveis mais procurados, atualmente, está pendendo mais para casas (de rua ou de condomínio) e coberturas. “Este ano, nossas principais vendas, em termos de valores, vieram basicamente de casas. Também vendemos coberturas grandes, com cerca de 500 metros quadrados”, destaca.

 

Impactos da inflação

A grande questão, para quem busca um imóvel para morar ou investir, continua sendo se a inflação alta irá impactar os preços dos imóveis. “Há impacto da inflação no mercado da construção. Principalmente no ano passado, algumas commodities (como aço, por exemplo, que é determinante para a definição do custo de uma construção) tiveram significativo aumento de preço. Hoje, construir está mais caro”, afirma Túlio. “Isso se reflete no preço final dos lançamentos, dos imóveis novos.”

Do mesmo modo, os valores para reforma de um imóvel (especialmente reforma total) também aumentaram. Nesse contexto, o CEO vê uma movimentação dos consumidores em busca de imóveis prontos. “Neste momento econômico, imóveis já construídos e em bom estado podem se tornar interessantes oportunidades de negócios”, explica. “Nossos clientes já estão de olho em imóveis seminovos e posso perceber isso claramente. Eles se tornam atraentes, no atual contexto, porque custo de reposição de imóveis em bom estado de conservação aumentou demais.”

Mas o que exatamente motiva a busca por esse tipo de imóvel, mesmo em um momento de alta de juros? “O imóvel já construído é mais buscado principalmente em bairros maduros, que têm pouco espaço para lançamentos – os Jardins, por exemplo, no caso de prédios. O comprador quer morar em um bairro cobiçado, mas ele já sabe que, para que isso seja possível, provavelmente precisará buscar um imóvel de terceiros (ou seja, já pronto) e terá poucas opções de imóveis novos, que sejam lançamentos na planta”, completa Túlio.

O principal aspecto que movimenta o mercado imobiliário de alto padrão, conforme aponta o CEO da Esquema Imóveis, ainda é a localização. “Isso também ocorre, por exemplo, com as casas que trabalhamos em regiões como Jardim Europa e Jardim América. São raras as que estão completamente prontas para morar, então os compradores já sabem que precisarão encontrar uma casa usada, para reformar, ou seminova. Outra possibilidade é demolirem o imóvel existente e construírem uma nova casa no lugar. Mas a questão que mais pesa, realmente, é a localização. Esse é o fator fundamental, é o que chama o comprador até determinado lugar, muitas vezes mais do que o próprio imóvel”, conclui.

 

Spread the love