Arquitetura e Decoração

“E fez-se a luz…”

Conheça algumas ideias de iluminação externa que podem ajudar a valorizar seu jardim ou área de lazer

 

Não há momento mais tranquilo para curtir a área externa de sua casa do que ao anoitecer. Quando a tarde encontra a noite, um bom projeto de iluminação pode transformar e valorizar cada elemento do seu espaço de lazer e descanso. As luzes artificiais, se bem escolhidas e posicionadas, são capazes de levar o olhar das pessoas para detalhes antes despercebidos, dando uma aura de mistério e serenidade ao ambiente.

A iluminação externa deve ser pensada para trazer dinamismo e ao mesmo tempo aconchego ao seu jardim ou área de lazer. Se a orientação do sol é importante na disposição dos elementos que compõem a área externa – já que o passar das horas cria sombras em determinados pontos, enquanto ilumina outros –, esse equilíbrio entre claro e escuro também precisa ser levado em consideração no posicionamento das lâmpadas. É preciso que as luzes artificiais impactem de forma positiva a percepção do espaço, já que ajudam a criar profundidade, além de valorizar texturas e cores.

 

Um bom projeto de iluminação ajuda a revelar os detalhes da área externa

 

Assim como o projeto de paisagismo, o projeto de iluminação externa é importante para fazer com que os elementos mais belos e interessantes do jardim “saltem aos olhos” do observador, quando as luzes se acendem. Deve haver um cuidado com relação às sombras de árvores e fontes, por exemplo, o que determinará a escolha de uma luz frontal, lateral, colocada acima ou ao fundo. Tanto o ângulo da lâmpada quanto sua voltagem e também a temperatura de cor (mais amarelada ou azulada) determinarão os diferentes efeitos no contexto geral da área iluminada.

 

A angulação e a intensidade das luzes são determinantes para um bom resultado

 

As escolhas da iluminação externa devem ser guiadas por dois aspectos principais: funcionalidade e ambientação. Em primeiro lugar, as luzes precisam garantir que os usuários possam se movimentar com facilidade e conforto pelo jardim, ou seja, que se sintam seguros ao caminhar ou mesmo preparar uma refeição na parte externa da casa. Isso não quer dizer que as lâmpadas devem ser necessariamente intensas; o ideal é que se misturem de forma orgânica à paisagem. Uma luz que incide indiretamente é muito mais sutil e bonita, além de iluminar com a mesma eficiência de um feixe direto. Isso leva à necessidade de criar, também, uma ambiência que seja agradável esteticamente. A iluminação precisa evocar uma resposta emocional das pessoas e “dar vida” ao espaço – valorizando determinados aspectos e atraindo a atenção para diferentes pontos do jardim, de modo que seja possível explorar e descobrir, constantemente, novas perspectivas daquele ambiente.

 

Neste projeto, a iluminação ajuda a destacar a casa e o paisagismo

 

O tipo ideal de luz vai depender da prioridade do proprietário – ou seja, se ele quer um resultado mais discreto ou mais dramático. Mas algumas recomendações valem para qualquer proposta de iluminação externa:

  • Evite posicionar lâmpadas muito “duras” e intensas onde as pessoas costumam se sentar; prefira as mais suaves.
  • As luzes devem ser utilizadas para “recortar” a silhueta da casa, enfatizando o desenho do paisagismo e dos elementos decorativos.
  • Feixes de luz posicionados na base de árvores e plantas, ou mesmo em piscinas e espelhos d’água, sempre funcionam muito bem.
  • As sombras também são importantes. Fuja do excesso de luzes. Um ambiente discreto é sempre mais agradável.
  • Lareiras, lamparinas e outros pontos de luz criados pelo fogo acrescentam aconchego ao espaço.
  • Escolha um projeto que reflita sua personalidade, mas que não seja de difícil manutenção.

 

A iluminação externa deve levar em conta funcionalidade e ambientação

 

Spread the love
  • 1
    Share