< Voltar

A Geração Z e os Millennials no mercado imobiliário

É possível definir um padrão de consumo apenas por distinções geracionais?

 

A Geração Z, composta por indivíduos nascidos entre meados dos anos 90 e o início dos anos 2010, é uma das mais estudadas e discutidas nos dias de hoje. Com o rápido avanço da tecnologia e a crescente mudança nos valores culturais, essa geração tem um impacto significativo no mundo em que vivemos. Muitos acreditam que a Geração Z representa uma nova era, com desafios e oportunidades únicas que os indivíduos mais velhos não experimentaram.

 

Como a primeira geração que cresceu inteiramente na era digital, a Geração Z está acostumada com um acesso fácil a informações e busca praticidade e rapidez em tudo o que faz. 

 

Mas, como todo assunto que fica no “trending topics”, a Gen Z tem sido alvo de muitas generalizações, como podemos perceber, em relação ao seu comportamento de consumo, inclusive no mercado imobiliário, onde a maior parte das pesquisas defendem que essa geração não investem em imóveis, pois não são adeptos a “criar raízes” em algum lugar.

 

No entanto, é importante considerar que cada indivíduo é único e possui suas próprias preferências e valores, que não se encaixam necessariamente em estereótipos pré-concebidos.

 

Ao contrário do que muitos acreditam, a pesquisa Millennial Homeownership Report indicou que a compra de imóveis para residência por millennials e os Z’s têm crescido nos últimos anos. Embora haja um percentual de 18,2% de millennials que não possuem casas e preferem continuar alugando, muitos deles têm essa opinião por não terem condições financeiras para adquirir uma casa própria.

 

 

O contexto econômico e social em que essas pessoas cresceram também influencia suas decisões de consumo. Alguns millennials priorizam a experiência em detrimento da posse, mas isso não significa que não valorizem a segurança e a estabilidade que a aquisição de um imóvel pode proporcionar.

 

No mercado de alto padrão, muitas das generalizações sobre a geração Z e millennials deixam de fazer sentido, uma vez que o poder aquisitivo é levado em conta. É preciso analisar o comportamento de consumo de forma ampla e multifacetada, levando em consideração não apenas a idade, mas também a formação, oportunidades e estímulos que foram dados a cada indivíduo.

 

No final das contas, cada pessoa tem suas próprias necessidades e preferências, e cabe ao mercado imobiliário compreender e atender a essas demandas de forma personalizada e individualizada. Não é adequado generalizar o comportamento de consumo de uma geração inteira, pois cada pessoa é única e possui suas próprias escolhas e valores.

 

 

Quer saber mais sobre os assuntos mais relevantes do mercado imobiliário? Acompanhe o nosso blog.

 

 

ARTIGOS
RELACIONADOS

Conheça os melhores óleos essenciais para trazer boas vibrações e uma sensação de bem-estar aos ambientes de sua casa   O começo de um ano é sempre aquele momento de respirar fundo, fazer resoluções e tentar trazer energias positivas para o novo ciclo que está se iniciando. Uma das formas…

Desenvolvimento da capital mais rica e populosa do Brasil   Desde 1960, São Paulo ocupa a posição de capital mais rica e populosa do Brasil. Embora gere sozinha nada menos que 10% da riqueza nacional, nada indicava, até a metade do século XIX, que o município ostentaria tais postos. Em…

A Esquema Imóveis acaba de lançar uma nova websérie e por isso investigamos o fenômeno dos programas que mostram transformações na vida real   Quem não gosta de ver séries em que grandes transformações acontecem, especialmente se forem na vida real? Desde que começou a se popularizar no Brasil e…

Como corretoras ou investidoras, as mulheres ocupam posições importantes no setor imobiliário   As mulheres desde sempre foram consideradas influenciadoras importantes na decisão de compra de imóveis. Atualmente, cada vez mais mulheres vem assumindo o papel de tomadoras de decisão na compra de imóveis, contribuindo financeiramente para a aquisição. Com…

Movimento que perpassa o mercado imobiliário, a moda e o mundo do design   O quiet luxury se configura como uma espécie de reflexo da crise mundial, da inflação e de pós pandemia. O termo ganha destaque a partir do comportamento das pessoas em buscar investir em peças úteis e…

A futurista Sabina Deweik e o diretor de inovação e expansão da Esquema Imóveis, Marcelo Alcântara, falam sobre o que torna uma empresa e seus profissionais inovadores   Vivemos em um contexto imprevisível, hiperconectado e dominado pela ansiedade, no qual percebemos, cada vez mais, uma aceleração da vida e dos…

Carolina Ferrari, corretora da Esquema Imóveis, fala sobre as opções de lazer mais buscadas em prédios residenciais   O modo de vida contemporâneo determina tendências no mercado imobiliário. Uma característica que tem sido muito buscada, em condomínios residenciais, são boas opções de lazer. O detalhe interessante tem sido a preferência…

Acompanhe a evolução da indústria fashion ao longo da história, refletindo a cultura e a sociedade de cada época   A moda, assim como a política e a tecnologia, evolui ao longo dos séculos, acompanhando as mudanças culturais e sociais de cada período da história humana. A percepção do que…