< Voltar

A Geração Z e os Millennials no mercado imobiliário

É possível definir um padrão de consumo apenas por distinções geracionais?

 

A Geração Z, composta por indivíduos nascidos entre meados dos anos 90 e o início dos anos 2010, é uma das mais estudadas e discutidas nos dias de hoje. Com o rápido avanço da tecnologia e a crescente mudança nos valores culturais, essa geração tem um impacto significativo no mundo em que vivemos. Muitos acreditam que a Geração Z representa uma nova era, com desafios e oportunidades únicas que os indivíduos mais velhos não experimentaram.

 

Como a primeira geração que cresceu inteiramente na era digital, a Geração Z está acostumada com um acesso fácil a informações e busca praticidade e rapidez em tudo o que faz. 

 

Mas, como todo assunto que fica no “trending topics”, a Gen Z tem sido alvo de muitas generalizações, como podemos perceber, em relação ao seu comportamento de consumo, inclusive no mercado imobiliário, onde a maior parte das pesquisas defendem que essa geração não investem em imóveis, pois não são adeptos a “criar raízes” em algum lugar.

 

No entanto, é importante considerar que cada indivíduo é único e possui suas próprias preferências e valores, que não se encaixam necessariamente em estereótipos pré-concebidos.

 

Ao contrário do que muitos acreditam, a pesquisa Millennial Homeownership Report indicou que a compra de imóveis para residência por millennials e os Z’s têm crescido nos últimos anos. Embora haja um percentual de 18,2% de millennials que não possuem casas e preferem continuar alugando, muitos deles têm essa opinião por não terem condições financeiras para adquirir uma casa própria.

 

 

O contexto econômico e social em que essas pessoas cresceram também influencia suas decisões de consumo. Alguns millennials priorizam a experiência em detrimento da posse, mas isso não significa que não valorizem a segurança e a estabilidade que a aquisição de um imóvel pode proporcionar.

 

No mercado de alto padrão, muitas das generalizações sobre a geração Z e millennials deixam de fazer sentido, uma vez que o poder aquisitivo é levado em conta. É preciso analisar o comportamento de consumo de forma ampla e multifacetada, levando em consideração não apenas a idade, mas também a formação, oportunidades e estímulos que foram dados a cada indivíduo.

 

No final das contas, cada pessoa tem suas próprias necessidades e preferências, e cabe ao mercado imobiliário compreender e atender a essas demandas de forma personalizada e individualizada. Não é adequado generalizar o comportamento de consumo de uma geração inteira, pois cada pessoa é única e possui suas próprias escolhas e valores.

 

 

Quer saber mais sobre os assuntos mais relevantes do mercado imobiliário? Acompanhe o nosso blog.

 

 

ARTIGOS
RELACIONADOS

No evento de Kick off da Esquema Imóveis, o nadador César Cielo explicou como os bons hábitos e a disciplina podem influenciar o coletivo   Somos um produto dos nossos hábitos e, por meio deles, acabamos impactando todos à nossa volta. Por isso, o tema escolhido pela Esquema Imóveis para…

6 dicas para manter a criatividade em um mundo que prioriza produtividade e resultados   A criatividade é algo que todo ser humano possui, mas que precisamos desenvolver e aprender a manter, principalmente naqueles dias menos inspiradores. Ela não se limita às carreiras consideradas artísticas; afinal, qualquer profissão pode se…

Conheça um pouco mais sobre a história do golfe e descubra os melhores lugares para jogar em São Paulo   O golfe tem uma história que se estende por vários séculos. Suas origens são controversas, mas há indícios de que o jogo surgiu no Império Romano (por volta do ano…

Entenda o que mudou na demanda por coberturas e confira as dicas da corretora Paula Biagi para quem busca morar nas alturas   Nos dias de hoje, quem não gostaria de morar em uma cobertura, com acesso a uma área externa agradável, com plantas e opções de lazer, além de…

A futurista Sabina Deweik e o diretor de inovação e expansão da Esquema Imóveis, Marcelo Alcântara, falam sobre o que torna uma empresa e seus profissionais inovadores   Vivemos em um contexto imprevisível, hiperconectado e dominado pela ansiedade, no qual percebemos, cada vez mais, uma aceleração da vida e dos…

A confiança para interagir com clientes é uma ferramenta que pode ser aprimorada para criar bons relacionamentos   O caminho que leva a uma venda passa por vários processos, mas ele não pode acontecer sem que dois aspectos essenciais sejam estabelecidos: confiança na comunicação e conexão com o cliente. No…

Home office e modelos híbridos de trabalho têm sido adotados para lidar com as demandas da atualidade   A chegada do Dia do Trabalhador traz questionamentos sobre a maneira como o trabalho tem mudado, ao longo das últimas décadas. Especialmente no ano passado, devido às medidas de isolamento social, novos…

Acompanhe a evolução da indústria fashion ao longo da história, refletindo a cultura e a sociedade de cada época   A moda, assim como a política e a tecnologia, evolui ao longo dos séculos, acompanhando as mudanças culturais e sociais de cada período da história humana. A percepção do que…