Arquitetura e Decoração

A importância do equilíbrio na decoração

A arquiteta e designer de interiores Sabrina Salles dá dicas sobre como criar equilíbrio na decoração de sua casa

 

O equilíbrio é algo que, em geral, tentamos buscar em diversos aspectos de nossa vida. Mas o que ele significa, no design de interiores? Trata-se da ideia de que, quando você entra em um ambiente, cada coisa está em seu devido lugar, proporcionando uma sensação de tranquilidade.

Basicamente, há duas maneiras de obter equilíbrio na decoração: por simetria ou por assimetria. A simetria se baseia na ideia de ter uma imagem espelhada, podendo ser uma ótima ferramenta para criar pares visuais. Por exemplo, um quarto em que a cama ocupa uma posição central, com duas mesinhas de cabeceira, uma de cada lado, é simétrico.

Já a assimetria é um pouco mais complicada de se trabalhar, para obter equilíbrio, uma vez que utiliza itens diferentes um do outro, mas que mantenham certa coesão, por compartilharem similaridades. Um design de interiores assimétrico também exige maior criatividade e jogo de cintura, para que o equilíbrio seja alcançado. Um exemplo disso é a escolha de quadros para uma parede: você precisa escolher obras de arte que tenham algo em comum, como a paleta de cores, mas variando o tamanho das pinturas e o tipo de moldura utilizado.

“Eu acredito que uma decoração bem equilibrada seja sem excessos, com peças funcionais, mas ao mesmo tempo que tenham alguma bossa, algum detalhe decorativo diferente, alguma coisa que remeta a sensações de bem-estar”, explica a arquiteta e designer de interiores Sabrina Salles. “É preciso também tomar cuidado para não deixar o ambiente clean e equilibrado, mas sem personalidade.”

 

 

De acordo com Sabrina, o equilíbrio no design de interiores tem como função provocar sensações boas nos usuários daquele espaço. “A pessoa pode ficar mais produtiva trabalhando em um ambiente equilibrado. Ela pode conseguir relaxar melhor em um quarto que tenha uma atmosfera equilibrada, uma iluminação adequada”, observa.

As cores também são muito importantes para regular as emoções e sensações humanas, já que impactam diretamente a maneira como nos sentimos dentro de determinados espaços. “É muito importante pensar em qual sensação você deseja para cada ambiente, o que você quer passar ou sentir quando estiver nele”, afirma. Segundo a designer de interiores, essas preferências e necessidades variam de pessoa para pessoa, por isso cada projeto de decoração é único.

 

 

Encontrando o equilíbrio

Para Sabrina, os maiores inimigos do equilíbrio são os exageros. “O principal cuidado é não sobrecarregar os ambientes”, recomenda. “Se você gosta de um estilo clássico, a dica é equilibrar com peças mais neutras, para não ficar tudo muito carregado. Já um ambiente moderno corre o risco de se tornar muito impessoal, então você pode colocar uma peça que remeta a algo afetivo, para quebrar essas linhas muito contemporâneas.”

Outra recomendação da designer de interiores é prestar atenção à área externa. “Ela é muito importante para estabelecer o equilíbrio e ter uma continuidade da área interna”, ressalta. Algo que tende a dar muito certo é apostar em plantas, que acabam se integrando com o interior, como se fossem um quadro, trazendo essa atmosfera mais natural para dentro da casa ou apartamento. Também é possível utilizar elementos como vasos, para criar equilíbrio e conexão entre a área interna e a externa.

Sabrina destaca que o trabalho do design de interiores precisa “dialogar” diretamente com a arquitetura. São áreas que trabalham juntas. “Por exemplo, os ambientes de um chalé, em Campos do Jordão, têm uma arquitetura que pede um certo estilo – você não pode ignorar isso. Assim como uma casa muito moderna, com grandes vãos, pede mobiliários mais retos e contemporâneos”, exemplifica. Por isso, o ideal é que o projeto arquitetônico e o projeto de decoração estejam alinhados, ou seja, também nesse aspecto deve haver equilíbrio.

 

 

Spread the love