Arte e Cultura

Como escolher suas obras de arte?

A empresária e colecionadora de arte Virginia Weinberg dá dicas sobre como fazer a curadoria das obras expostas em sua casa

 

Começar uma coleção de arte para exibir em sua casa pode ser uma tarefa um pouco complicada, em especial para quem aprecia pintura e escultura, mas não atua especificamente nessa área. Afinal, quais critérios utilizar para selecionar as obras e em que ambientes posicionar cada uma delas, para ao mesmo tempo expressar seu gosto pessoal e criar uma atmosfera que seja visualmente agradável?

Para a empresária Virginia Weinberg, o fator determinante para a escolha de suas obras de arte é sempre comprar o que gosta, independentemente da opinião dos outros. De acordo com a colecionadora, isso se aplica também às decisões sobre o posicionamento das obras em casa. “Elas não necessariamente precisam combinar nas cores. Eu gosto de considerar o contexto político, social e histórico do conjunto de obras, observando o espaço e a arquitetura do local, para que a instalação traga a melhor experiência para o observador”, explica.

A admiração por obras artísticas é algo que Virginia compartilha com a família. Com três filhos e duas enteadas, ela afirma que, sempre que possível, leva as crianças a museus e exibições. “Os meninos são muito novos, mas as meninas expressam os gostos e opinam nas obras que mais apreciam. Compramos pensando neles também, na relação que teriam com a forma, as cores e a temática”, afirma.

Segundo a empresária, a pesquisa é a melhor estratégia para descobrir onde encontrar obras de arte interessantes. “No Brasil, temos galerias com programas excelentes – como, por exemplo, a Mendes Wood, Luisa Strina, Triângulo, Galeria Estação, entre outras. Estar sempre curioso e visitando esses espaços é uma forma de treinar o olhar e identificar quais obras e artistas mais tocam você”, observa.

 

A recomendação é que o comprador escolha obras que o toquem de alguma forma

 

Quanto à manutenção, Virginia recomenda atenção principalmente com o manejo das obras. “Cuidados como o uso de luvas, evitar exposição solar e umidade, são muito importantes. O sol direto acaba alterando a cor da pintura, por exemplo”, ressalta. Contudo, não há um ambiente ideal ou exclusivo para a exposição de obras de arte em uma casa ou apartamento. “Elas podem estar em qualquer lugar, desde que seja considerado a arquitetura, o tamanho das obras e da parede. Adoro lugares não convencionais, para atrair olhares curiosos.”

A principal dica de Virginia, para quem deseja começar a colecionar arte, é visitar muitas galerias, museus e exposições, antes de comprar. “Esse foi um conselho que eu, particularmente, não segui, quando comecei a colecionar obras de arte. Infelizmente, a gente acaba comprando por impulso”, conta. Mas a empresária afirma possuir várias peças que ama e com as quais convive diariamente. Sua coleção inclui diversos artistas brasileiros, cujos trabalhos foram adquiridos, em sua maior parte, quando ela morava em Hong Kong. “O importante é adquirir obras das quais você tenha orgulho ao longo do tempo. Para que isso ocorra, o olhar para a obra precisa estar treinado. Também não compro pensando na decoração da casa, para combinar com o sofá ou com o tapete.”

 

5 dicas para colecionadores de arte

Para aqueles que, assim como Virginia, desejam colecionar obras de arte, selecionamos algumas dicas preciosas:

 

  1. Conheça seus gostos.

A maioria das obras de arte são adquiridas porque o comprador tem uma reação visceral a elas. Para estabelecer essa conexão, o colecionador precisa conhecer seus próprios gostos, visitar museus e galerias, ver obras online. Assim, será possível determinar que tipo de arte ele quer começar a colecionar.

 

É importante que as obras de arte reflitam o gosto e a personalidade do comprador

 

  1. Conheça o mercado.

Para obter preços justos e compreender qual o real valor de cada obra de arte, é preciso que a pessoa tenha algum conhecimento sobre esse mercado. Para quem está começando, vale a pena olhar catálogos de leilões, visitar sites de galerias e perguntar a opinião de especialistas. Uma compra bem informada é a melhor aquisição.

 

  1. Construa relacionamentos.

No mundo da arte, às vezes é necessário sociabilizar. Para quem deseja mergulhar nisso, vale a pena construir relações com outros colecionadores, curadores e galeristas, que possam lhe dar informações privilegiadas sobre novos artistas e tendências.

 

  1. Estabeleça um orçamento.

Investidores em arte precisam estar atentos ao seu orçamento. Aqui, não deve ser contabilizado apenas o valor da obra, mas o seguro, o transporte até sua casa, a moldura ou vidro de proteção, além de serviços profissionais para limpeza e manutenção. O lado positivo é que muitas obras compradas diretamente do artista ou adquiridas com bons preços em leilões podem, posteriormente, ganhar valor no mercado.

 

O transporte, a segurança e a manutenção da obra devem ser considerados na hora da compra

 

  1. Pesquise antes de comprar.

Mesmo que você tenha se apaixonado por uma obra, pesquise um pouco sobre ela antes de realizar a compra. Se possível, veja a peça pessoalmente e analise com cuidado como ela irá se encaixar no contexto de sua casa. Garanta também que você receberá os certificados de autenticidade e proveniência. Quanto mais conhecimento você tiver sobre o artista e a obra, melhor.

 

Informação e conhecimento são as melhores estratégias na compra de obras de arte para sua casa

 

Spread the love